História da Família de Angelo Pietrobom

Na Itália:

Angelo Pietrobom casou-se com Anna Sabim e tiveram o filho Angelo Pietrobom.

1855 -1877: Angelo (filho) nasceu em 1855 em Ponzano Veneto, Província de Treviso e se casou com Vergínia Durigon. Viveram em Treviso no vilarejo de Santa Bona.

1877: Migraram para a Comune de Cittadella na Província de Pádova, em 06/12/1877, dois anos antes de seu primeiro filho nascer.
Na Itália tiveram 5 filhos (Giuseppe, Emilio, Ida, Itália e Ermínia) e vieram ter mais um aqui no Brasil (Elizeu).


Angelo e Vergínia vieram ao Brasil com 4 primeiros filhos, todos solteiros (Giuseppe, Emílio, Ida e Itália), deixando a filha mais nova na Itália pois ela era ainda muito pequena. Depois Angelo voltou para a Itália e buscou Ermínia, trazendo-a para junto da família no Brasil (descrito mais abaixo). Não temos registro da vinda do filho Eliseo. Mais tarde nasceria um outro filho no Brasil que também seria chamado de Elizeu. (novo)
 
 

No Brasil:

Santa Rita do Passa Quatro     Bonfim Paulista     Cedral Mágda    Fernandópolis Hoje

Chegada da família: ano de 1896 em 11 de março na embarcação de nome Maranhão.

Desembarcaram no Porto de Santos/SP. Foi localizada a documentação que registra o desembarque da família nessa data.


Sobre o navio Maranhão, algumas informações : pertenceu à frota da armadora "Ligure Romana", sendo adquirido em 1896. Era de fabrico italiano, tendo sido lançado à água em 1891 com o nome de "Giulio Cesare". Um ano depois passou para a frota da armadora "Ligure Brasiliana", com o nome de "Rio Amazonas". Foi afundado a 13 de maio de 1917 por um submarino alemão a 70 milhas de Benghazi.

Em Santa Rita do Passa Quatro / SP:

A primeira cidade que temos registro deles é Santa Rita do Passa Quatro, onde o casal Angelo e Vergínia teve seu filho mais novo, Elizeu, que nasceu em 02/09/1897.

1901: Também aí casou seu primeiro filho Giuseppe Pietrobom com Adelia Lungato, também italiana, que veio com os pais para o Brasil em 1888. Depois a família se mudou para Bonfim Paulista. Não sabemos precisar ainda o ano (antes de 1902).
 
 

Bonfim Paulista / Ribeirão Preto / SP:

Em Bonfim Paulista (Vila Bonfim), região de Ribeirão Preto / SP:

1902: O segundo filho do casal, Emílio Pietrobom casou-se em Ribeirão Preto com Emília Gobbi.

1902: Nasceu a primeira filha de Giuseppe e Adélia, Ermínia Pietrobom, registrada em Ribeirão Preto.

1905: Nasceu o segundo filho de Giuseppe e Adélia, Albino Pietrobom, em Bonfim Paulista.

Angelo Pietrobom (filho) retornou à Itália e em 02/02/1905 chegou no Brasil pela segunda vez, trazendo sua filha Ermínia, que havia ficado na Itália. Partiram do Porto de Genova no vapor Rio Amazonas e desembarcaram em Santos. Na ocasião, ele com 49 anos e ela com 9 anos de idade, deram entrada na Hospedaria dos Imigrantes. Tinham como destino a Vila Bonfim (depois chamado Bonfim Paulista), onde se localizava a família,  à fazenda de João Rosa.

1907: A terceira filha do casal, Ida Pietrobom casou-se com João Vitorazzo, em Bonfim Paulista.

1912: A família ainda morava na região de Ribeirão Preto (em Bonfim Paulista, provavelmente), quando Giuseppe Pietrobom adquiriu uma propriedade de 8 alqueres de terra na fazenda Ranchinho ou Palmeiras, na região de São José do Rio Preto (provavelmente na cidade de Cedral, a confirmar).

1914: Nasceu o primeiro filho de Ermínia Pietrobom e Pedro Puia, Olímpio Puia, em Bonfim Paulista.
 
 

Em Cedral / SP:

Em 1915 a família de Angelo mudou-se para Cedral.

Em 1918 Ermínia mudou-se com o marido e filhos para Cedral também.

1920 - 1923: Nasceram os filhos de Giuseppe e Adélia, Germano Pietrobon e Rizieri Pietro Bão, em Cedral.

1931: Albino Pietrobom (filho de Giuseppe Pietrobom) casou-se com Brazilina Buosi, em Cedral. Moraram mais ou menos 10 anos em Cedral.

Em Cedral, de 1932 a 1938, nasceram as primeiras filhas de Albino e Brazilina: Zoraide, Jacy, Alice e Nédia
 
 

Em Mágda / SP:

Parte da família permaneceu em Cedral e outra parte foi para Mágda, onde haviam comprado terras, em mais ou menos 1940.
 (depoimento de Jacy Pietrobom: )
           "Foram para Mágda com suas famílias: Albino, Ernesto, ... .
            Sairam de madrugada e viajaram o dia todo, chegando à noite...
            Em Mágda ficaram um ano sem terem leite, antes em Cedral tinham fartura.
            Precisavam caminhar muito para buscar um litro de leite...
            Depois foram o David e Virgílio, depois o Henrique ..."
Em Mágda nasceram as filhas de Albino e Brazilina (1943 a 1945): Nelsinda, Adélia e Leodene
 
 

Em Fernandópolis / SP:

Em 1947 Albino Pietrobom vendeu a parte dele das terras de Mágda e comprou o sítio Ponto Bom em Fernandópolis. Então levou a família para lá.

Anos depois, Albino comprou o sítio São Pedro mas continuou morando no Ponto Bom.
 
 

Onde se localiza a família hoje:

As famílias que Angelo e Vergínia originaram se localizam em várias cidades do estado de São Paulo e parte dela no Paraná. Entre as cidades que temos referência, são elas:
Campinas, Cedral, Estrela D'Oeste, Fernandópolis, Goiânia, José Bonifácio, Olímpia, Santa Fé do Sul, São José do Rio Preto, São Paulo, Terra Boa (Paraná), Tupã, Barretos, Floreal, Jales, entre outras.
 
 
Pág Principal  
Topo Pág